notícias / Agronegócio

Conab confirma recorde na produção de grãos, com 250, 5 mi de toneladas

Canal Rural 09/06/2020 11h33

Conab confirma recorde na produção de grãos, com 250, 5 mi de toneladas

Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), confirmou o crescimento recorde da produção de grãos no país, estimada em 250,5 milhões de toneladas, ou seja, ou 8,5 milhões de toneladas ou  3,5% a mais do que o colhido em 2018/2019. Em relação ao levantamento passado, houve queda de 400 mil toneladas na estimativa de produção.

Mas o recorde da safra se mantém, resultado de uma área semeada de 65,6 milhões de hectares, com crescimento de 2,3 milhões de hectares ou 3,6% sobre a safra passada. Os dados fazem parte do 9º Levantamento da Safra 2019/2020, divulgado nesta terça-feira , 9, pela companhia.

"Com a colheita finalizada praticamente em todas as culturas de primeira safra, e as de segunda em andamento, o que falta agora é a conclusão do plantio das culturas de inverno e os números resultantes da terceira safra. Além disso, será necessário observar o comportamento climático, que pode influenciar na produtividade destas culturas", afirmou a entidade em nota.

Área total

Com a colheita da soja finalizada, as lavouras de milho segunda safra, variando do plantio à colheita em importantes regiões, e também ao plantio das culturas de inverno, que ora se apresenta em franca evolução, a área plantada brasileira nesta safra está estimada em 65.558,5 mil hectares, representando um incremento de 3,6% em comparação à safra passada, influenciada principalmente pelo crescimento das áreas de milho e soja.

Segundo a Conab, entre as culturas de inverno, merece destaque o desempenho das lavouras de trigo que apresentam, até o momento, um crescimento previsto na área plantada de 6,7% em relação ao exercício anterior.

Soja

A produção estimada para esta safra atingiu 120,4 milhões de toneladas, recorde histórico, representando um acréscimo de 4,7% em relação ao exercício passado.

Apesar do forte impacto causado pelo desempenho da safra no Rio Grande do Sul, a cultura apresentou produtividades recordes em Mato Grosso, Paraná, Goiás, São Paulo, Tocantins, Maranhão Rondônia e Distrito Federal. Na Região Nordeste, particularmente no Matopiba, as condições climáticas trouxeram transtornos durante à semeadura, causando a necessidade de replantio em algumas regiões.

O quadro climático mudou substancialmente e as chuvas a partir de janeiro favoreceram o desenvolvimento das lavouras, beneficiando os níveis de produtividade. Neste levantamento, a produção confirmada pelas já colheitas realizadas, apontam para incrementos importantes em toda a região coberta pelo Matopiba.

Milho 

A área de milho primeira safra na temporada 2019/2020, atingiu 4,22 milhões de hectares, 2,9% maior que a área cultivada na safra 2018/2019, influenciada pelas boas expectativas de comercialização nesta temporada. Problemas climáticos na Região Sul prejudicaram o potencial produtivo das lavouras, resultando em perdas na produção, com uma redução de 3,6% nos níveis médios de produtividades em relação à safra anterior. A colheita está encerrando na Região Nordeste.

A segunda safra de milho, que tem na região Centro-Oeste sua maior concentração da produção, não expressou, com exceção de algumas ocorrências isoladas, todo o seu potencial produtivo, frustrado pelas condições do quadro climático. O rendimento, abaixo da safra passada, é compensado pelo incremento na área plantada em 6,6%.

As lavouras apresentam-se em avançado estágio de evolução, com a colheita já ocorrendo em vários estados. As expectativas, mesmo considerando as frustrações climáticas citadas, é de aumento na produção, na ordem de 1,4% em relação ao exercício passado, atingindo 74,2 milhões de toneladas.

A terceira safra de milho, com produção estimada em 1.330,9 mil toneladas, aparece como nova oferta, organizada e consolidada pelos sucessivos levantamentos levados à efeito pela companhia. Trata-se de produção
gerada nas novas fronteiras agrícolas, tendo como núcleo a Sealba, que compreende as áreas produtoras situadas no nordeste da Bahia, Sergipe e Alagoas, em Pernambuco e as situadas em Roraima, caracterizadas por
apresentarem um calendário produtivo semelhante ao do hemisfério norte.

A estimativa de produção nacional de milho, considerando as três safras na temporada 2019/2020, está estimada atingir 100,99 milhões de toneladas, representando um acréscimo de 0,9%, em relação ao exercício anterior.

Outras culturas 

Apesar da redução da área cultivada nos últimos anos, a proporção do plantio de arroz realizada em áreas irrigadas gera maior produtividade, o que vem permitindo a manutenção da produção ajustada ao consumo nacional. A produção para esta safra está prevista atingir 11,13 milhões de toneladas, representando aumento de
6,5% em relação à safra passada.

O quadro da seca, que ocorreu no Rio Grande do Sul, maior produtor nacional, acabou por favorecer a cultura do arroz, já que houve a combinação fortuita de eventos que contribuíram para o bom desempenho das lavouras.

A colheita na Região Sul está finalizada e encaminha para o encerramento na Região Nordeste do país.

A produção de feijão chegará a 3,07 milhões de toneladas, 1,9% superior ao obtido em 2018/2019. A primeira safra está totalmente colhida, enquanto as lavouras de segunda safra estão em processo de colheita e as de terceira safra finalizando o plantio. Já o algodão em pluma tem uma produção estimada em 2,89 milhões de toneladas, 3,9% superior à safra passada.