notícias / Esportes

Começou a 12ª edição do Campeonato Paranaense de Laço em Dupla

Viola Show I Fonte: Cavalus 07/03/2019 08h42

Começou a 12ª edição do Campeonato Paranaense de Laço em Dupla

Começou a 12ª edição do Campeonato Paranaense de Laço em Dupla

Foi no complexo especial de provas cronometradas, no Parque de Exposições de Londrina/PR, que o CPLD estreou em 2019. A primeira etapa aconteceu de 22 a 24 de fevereiro, reunindo laçadores de todos os lugares do país, como é de costume. Prova diversificada, com horários regiamente cumpridos e boa premiação é o que todo mundo busca.

Como todos os anos, a palavra de ordem do CPLD é inovação. "A gente sempre tenta inovar, mudar alguma coisa, para não ficar na mesmice. A prova tem que mudar sempre. Como a nossa, geralmente, é a primeira das provas grandes no ano, não nos inspiramos em ninguém. Quebramos muito a cabeça a cada final de temporada para estrear sempre com uma melhoria, com algo diferente", contam os organizadores Anderson Proença e Felipe Monteiro.

CPLD 2019


Portanto, eles acabam implantando as novidades sempre logo na abertura da temporada, para fazer um balanço depois do que fica, do que melhora e do que sai. "Temos acertado muito mais do que errado. Caso algo não dê certo, ou reorganizamos ou voltamos atrás. Mas tem sempre dado certo e isso é muito bom".

E eles contam que tem coisa que eles mesmos 'inventam', usando a experiência de anos e anos dentro da modalidade, conhecendo a fundo todos os pormenores do setor, sem contar na própria expertise em gerir o Campeonato, e outras que eles 'copiam'. "Especialmente vendo o que acontece nos Estados Unidos.

Logo após a Mega Final, Anderson Proença passou três meses lá, em busca de aperfeiçoamento pessoal, mas também indo a ranchos, provas, vendo tudo que dá certo. Felipe Monteiro também faz viagens regulares para conversar com parceiros e buscar novidades. Depois, colocam tudo no papel e formatam o que irão implementar, adequando à realidade do Brasil.

Aline Lima e Juliana Balbo,

 campeãs #3 Feminina

Ano passado, e que se mantém para essa temporada, as provas VIPs em todas as somatórias foi sucesso. São provas que duram em média 40 minutos, para cada handcap 50 inscritos, até duas inscrições com parceiros diferentes, sem sorteio. "É uma prova boa, rápida e dá chance para todo mundo. O laçador gasta R$ 400,00 e pode ganhar até US$ 5.600,00 se for o campeão", explicam Son e Felipe.

Como é uma prova separada da categoria maior, dá chance para o competidor que não quer investir demais, pagar uma inscrição com custo/benefício ótimo, pois o valor não é alto e a premiação é boa e bem distribuída. "Fica competitivo para os laçadores. Não é uma prova com muita inscrição e dá um bom retorno. Quem quer investir e concorrer a mais prêmios também, tem chances diversas".

Pódio CPLD Mirim. Foto: Revista Ropers


Conforme o CPLD cresce, o público em geral aumenta. Analisando os cadastros para o campeonato que iniciou, deu para encontrar laçadores que nunca tinha ido à uma etapa nesses mais de dez anos de circuito. "Isso é muito bacana e é por eles também que a gente tenta inovar sempre. Para manter os que já estão conosco e gostam do nosso formato, mas também para trazer sempre gente nova".

Para Son e Felipe, que hoje tocam o CPLD, outro motivo de alegria é conseguir ter entre os patrocinadores empresas novas no mercado. Ou seja, são referência para lançamento de produtos e serviços, além de serem referência também no modelo de provas nos profissionais que atuam nas etapas. As pessoas querem o que é bom e dá certo, sem dúvida!

Cada detalhe é pensando com o maior carinho pelos organizadores. Desde pequenos gestos, como essa mesa com vaso de flor e fivela, até o layout de todo evento, com espaço para os stands dos patrocinadores, plaquinhas de sinalização personalizadas, bretes personalizados, o layout da própria pista e muito mais. Foto: Revista Ropers


Para a próxima etapa, a novidade será o incremento na premiação com a entrada da Fênix Trailler; Para a categoria Incentivo, de R$ 12 mil para o campeão, passará a ser um trailer novo dessa marca que está chegando no mercado. Além da premiação para o campeão dar um salto grande, o produto é totalmente inovador. O mesmo acontecerá para a Somatória 4.

Entre os destaques da etapa, a Elite Team Roping - ETR, que sempre surpreende. Segundo Juliana Balbo, Anderson Proença e Fernão, que estão à frente, o formato só cresce. E quando o laçador vê que é uma coisa séria, que dá dinheiro de retorno, ele não deixa de participar. "Não tem em lugar nenhum uma prova nesse formato, quase sem despesa para o competidor. É muito bom para todos, agrega sempre a todos os eventos, e é prazer para o CPLD".

Adriano Rodrigues e Pilha


Durante o CPLD foram realizadas duas etapas ETR. Na quinta etapa da temporada, os vencedores foram Caio Nakano e Stenio Sifoleli. No dia seguinte, na sexta etapa, as lendas Adriano Rodrigues e Rodrigo Calderan foram os campeões. Eles assumiram a liderança do ranking ETR. Todas as informações e resultados: @cpldbrasil. Para saber sobre etapas, resultados e ranking ETR: @etr_oficial.