notícias / Esportes

Pranaense tem aproveitados as oportunidades nos rodeios de seu estado

Eugênio José 05/08/2022 13h40

Pranaense tem aproveitados as oportunidades nos rodeios de seu estado

Gosto de procurar história aleatórias no fundo dos bretes, principalmente de quem está buscando um lugar ao sol, e no Paraná, me deparei com historia de um garoto que pensou em desistir por falta de oportunidade, porém, sobre aproveitá-las neste último mês.

Ainda criança, Alison Henrique de Lima ligou a televisão e viu um cara com nome de Adriano Moraes montando em touros em um programa que exibia uma etapa da PBR nos EUA

Ali na época, o garoto que tinha doze anos, ficou pensativo em relação ao seu futuro junto com um primo que tirava leite de vacas, começaram a orquestrar as primeiras montarias em bezerros.

Aos dezesseis anos Alison começou e frequentar os treinos.

"O Alex Trindade, o 'Zequinha' foi um cara que me ajudou muito, no começo, ele me levava e indicava nos treinos, você sabe que, até para treinar é complicado no começo, ainda mais quando você não é maior de idade" Explica "Um amigo chamado Sidney Roberto, montou uma arena e treinei um tempo lá e aos dezessete anos, fui no meu primeiro bolão, em Astorga onde fiquei em quarto lugar"

Porém, sem idade para montar, Alison teve que esperar um pouco mais para sair para os rodeios, só aos dezenove anos de idade, montou em seu primeiro rodeio profissional, que foi na famosa arena coberta de Campina Grande do Sul, no Paraná.

O começo de sua carreira foi marcada por falta de oportunidade e contusões, ele precisou ser persistente

"Não é fácil, toda vez que eu machucava ou que não consegui uma boa sequencia de rodeios, eu pensava em desistir" Explica "Porém, o sonho sempre fala mais alto e eu continuei"

Sua persistência, foi recompensada quando ganhou seu primeiro título de campeão em Rio Bonito do Iguaçu no Paraná, e sendo finalista em rodeios como São Cepé (RS), vice-campeão Monte Castelo em Santa Catarina, Mamborê, Luiziania, Mandaguaçu e Santa Fé no Paraná.

Fã de Ademir Cândido e Luciano de Castro, Alison passou pela dura espera da pandemia, onde tudo ficou ainda mais parado  

"A gente quem que se virar, eu faço artesanato em couros, e fui esperando tudo voltar" Explica

Com o tempo as oportunidades começaram a aparecer e Alison está sabendo aproveita-las

Essa semana foi finalista de um importante rodeio de sua região, Atalaia (PR), onde ficou em terceiro lugar e recentemente Teixeira Soares no Paraná

Aos vinte e sete anos, continua ainda sem muitas oportunidades, porém, 2022, soube aproveitar as últimas duas que teve no mês de julho e espera pode engrenar já que conseguiu bons resultados.

"Estou muito feliz por esses resultados, creio que novas oportunidades vão aparecer" Finaliza "Meus sonhos são iguais a de todos, montar toda semana, montar em Barretos, montar nos EUA. Não vou desistir, pensei em parar, mas muitos não chegaram onde eu cheguei e não vão chegar, então é seguir firme e perseverante"

Alison me explicou que treina frequentemente e que Leandro Machado, competidor de sua mesma cidade, Nova Esperança foi um cara que o inspirou também e o incentivou a montar.