notícias / Cultura

Os cavalos e sua incrível memória

Viola Show I Fonte: Cavalus 11/07/2019 09h13

Os cavalos e sua incrível memória

Os cavalos e sua incrível memória

Mesmo os cavalos tendo sido domesticados há mais de seis mil anos, é recente o estudo de cientistas voltado para a capacidade de entendimento destes animais. Até agora, as pesquisas sugeriam que, apesar de os cavalos serem capazes de entender alguns sinais, eles só conseguiam aplicar uma determinada função quando havia recompensa ou era posicionado próximo á o que trazia algum tipo de interesse para ele. Mas todos os dias os cavalos mostram sua habilidade em compreender diferentes situações.

Os cientistas dizem que os equinos tinham um nível de habilidade semelhante ao das cabras ou dos gatos, que são capazes de atender gestos humanos, porém não compreendem os significados destes gestos. Um estudo publicado em 2004 destacou os cavalos como animais de memória curta e que por isso não foram dotados da capacidade de relembrar tarefas que deveriam fazer mais tarde (a chamada memória prospectiva).

Segundo um grupo de cientistas da Universidade de Pisa, na Itália, os cavalos não só são capazes de entender os gestos humanos como também mudam a maneira como respondem a uma tarefa de acordo com as suas próprias experiências. Um dos autores do estudo, Paolo Baragli ressalta que essa é uma experiência fácil de entender em humanos, mas não tão comum em animais.

"Se um animal não consegue executar uma tarefa como esperamos, isso não quer dizer que ele não tenha capacidade. Pode ser que ele esteja usando uma estratégia diferente da que esperamos que ele use". Para que os estudos sejam aprimorados, alguns testes foram realizados.

Os cavalos e sua incrível memória


Em um destes testes, os pesquisadores treinaram 24 cavalos adultos de diferentes raças para encontrarem objetos colocados em locais diferentes, com e sem a ajuda do humano e após os animais verem a pessoa guardando o objeto ou o alimento em um local, eles conseguem encontrar sem maiores dificuldades ou sem precisarem procurar mesmo sem ajuda.

Segundo os autores, isso sugere que os sinais humanos se tornaram menos importantes à medida que os cavalos aprenderam que receberiam a mesma recompensa pensando em suas escolhas ou simplesmente adivinhando.

Os cavalos também conseguem mudar sua estratégia de tomada de decisões entre a confiabilidade transmitida pelo sinal humano e uma recompensa mais imediata. Isso quer dizer que eles sabem escolher se querem ou não, usar os sinais humanos, dependendo se preferem ser mais rápidos ou mais precisos.

Baragli afirma que essas habilidades cognitivas são essenciais para a sobrevivência desses animais, mais até do que capacidades mais elaboradas. "Este estudo é o primeiro a demonstrar que cavalos são capazes de tomar uma decisão baseados em informações obtidas por estímulos ambientais (o homem), e conseguem mudar sua estratégia comportamental baseados em sua própria experiência para resolver o mesmo problema de uma maneira mais rápida".